sábado, 16 de julho de 2016

Após renúncia, Noroeste elege novo presidente



Toninho Rodrigues (à esquerda), Estevan Pegoraro (ao centro) e "Mosca" (à direita)
Foto: Bruno Freitas / EC Noroeste

O advogado e empresário Estevan Nogueira Pegoraro era o nome mais forte a assumir a presidência do clube após renuncia de Emílio, mas para que isso se consolidasse o clube passaria por nova eleição presidencial conforme anunciado pelo presidente do conselho deliberativo Toninho Rodrigues.


A eleição de fato aconteceu na última sexta-feira 15/7 na sede do EC Clube Noroeste e após duas horas de eleição onde foi feita a releitura da ata do clube, além das votações, o novo presidente será Estevan, como era o esperado, que comandará a Maquininha Vermelha ao lado de Rodrigo Gomes, o "Mosca",  em mandato três anos após unanimidade dos votos.

Estevan é natural de Bauru, apaixonado por esportes e pelo EC Noroeste obteve uma conquista imediata na nova gestão, que foi a renovação do patrocínio com a Baterias Tudor.

Em 2013 o novo presidente do clube sagrou-se campeão paulista de futevôlei em São Paulo defendendo as cores do São Paulo FC, mostrando sua intimidade com a modalidade.

Estevan (à esquerda), Juvenal Juvêncio (ao centro) e Marcos Paiva (à direita)
Foto: Arquivo Pessoal
Estevan tem como principal objetivo nessa nova gestão, reestruturar o EC Noroeste financeiramente e profissionalmente, recolocando o clube no cenário maior do futebol do estado, lugar esse que o clube jamais deveria ter saído devido sua história e grandeza. 

Fechamento do ciclo

Foi como uma bomba nos bastidores do alvi-rubro a notícia da saída de Emílio Brumati e do vice Rafael Padilha do comando do clube Bauruense na quarta-feira (06/07), alegando que não teriam condições de colocar o Noroeste de volta aos trilhos e assim deixaram o caminho aberto para que outra pessoa interessada pudesse assumir e trazer o aporte financeiro que o clube precisa para voltar a série A-2 e consequentemente a elite do futebol paulista.

Emílio deixou o clube após dois anos afrente do cube onde realizou uma ótima gestão, conseguindo diminuir o déficit do clube que era de R$ 17.849.027,66 no período de 2009 á 2012, para o valor de R$ 10.021.037,05 logo no seu primeiro ano de mandato em 2014, graças ao perdão de algumas dívidas com os credores, entre eles a Família Garcia, que perpetuava desde que o falecido ex-presidente Sr. Damião Garcia presidia o clube.

Emílio Brumati(à esquerda), Émerson (ao centro) e Rafael Padilha (à direita)
Foto: EC Noroeste

Além dessas dívidas, o Noroeste ainda conseguiu solucionar cerca de 83 causas trabalhistas de ex-jogadores que girava em torno de R$ 360.000,00.

Já no ano de 2015, a diretoria reduziu ainda mais o patrimônio negativo do clube chegando a R$ 9.792.010,68 e cerca de R$ 400.000,00 foram para sanar dívidas trabalhistas e montar o elenco para a disputa do campeonato paulista da quarta e última divisão do estado que graças ao empenho dos administradores, o clube conseguiu fechar uma parceria com a Ferroviária de Araraquara que cedeu jogadores, além do treinador, o que reduziu e muito os custos diários do clube que naquele ano alcançou o acesso de volta a série A-3 com um público de 7.021 torcedores que vibraram e foram a loucura na partida diante do Fernandópolis FC após o empate em 2 à 2.

Emílio agradeceu a todos os torcedores bauruenses pelo apoio durante todo esse tempo de gestão, principalmente a torcida Sangue-Rubro e a Falange Vermelha, tercidas organizadas do clube que vivem diariamente e assiduamente a realidade do clube, além de deixar um legado no projeto Noroestel que abriga hoje cerca de 400 crianças.

Nenhum comentário:

Postar um comentário