quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Após paralisação de partida, organização se posiciona sobre o assunto

Diegão (à direita), em disputa de bola com Juninho do Comercial no 1ª turno
Foto: Comercial EC / Divulgação

Era para ser mais um clássico da Copa Semel e claro que em todo bom clássico, a rivalidade e o desejo de vencer toma conta de todos os jogadores, comissões técnicas, enfim, são os ingredientes chave para o espetáculo que o torcedor espera ver das arquibancadas.


Mas não foi o que aconteceu no duelo entre Redentor e Comercial no estádio Mirante Ferroviário na manhã do último domingo (7/8).

A partida estava 1 à 0 para o Peba e após a defesa do Redentor afastar um perigo de gol pela lateral direita do campo, Diegão domina a bola, faz a proteção e recebe uma falta mais forte de Éverton por trás.
Comunicado de penalidade da Semel
Foto: Internet / Divulgação

O centroavante não gostou da maneira com que o adversário cometeu a falta e com os ânimos alterados, acabou desferindo um soco, jamais constado no histórico do atleta, para acertar Éverton e acabou por atingir o atleta Luis Fernando (Lambari) do Comercial que vinha na sequência da jogada, conforme mostrado através de filmagens da partida.

O tumulto se formou, a expulsão seria inevitável, mas a questão era quem expulsar e na visão lógica do árbitro da partida Ricardo Fabris Fontes, Diegão deixaria o campo pela agressão fora do lance de jogo e foi o que aconteceu, porém a revolta tomou conta dos atletas e dirigentes do EC Redentor.

Na ocasião o questionamento era porque Ricardo não expulsaria algum atleta do Comercial e sem conseguir dar continuidade na partida, o árbitro optou por encerrar a partida aos 15 minutos por falta de segurança.

Nossa equipe entrou em contato por telefone com o árbitro que nos explicou o motivo do encerramento da partida, pela qual não havia garantias de segurança para que ele continuasse apitando, após receber ofensas e ameaças por parte do Redentor conforme nos informou.

Por causar a paralisação, o Redentor acabou recebendo a punição da organização da competição conforme consta no regulamento da mesma, que em caso de paralisação da partida, a equipe infratora recebe a pena de parda do jogo por w.o (3 à 0).

Já com relação ao centroavante Diegão, circula um documento na internet referente a decisão da organização em que consta que o artilheiro do Peba na temporada, foi punido por um ano, estando assim eliminado da disputa de 2016 onde a equipe grená desponta como uma das principais agremiações a conquista do título da temporada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário