quinta-feira, 1 de junho de 2017

Com a casa em ordem, Noroeste aguarda reunião de emergência com prefeito Gazzetta

Por Assessoria de Imprensa/ECN
Presidente do EC Noroeste espera definição de impasse o mais breve possível
Foto: Rodrigo Corsi / FPF

O Noroeste pagará nesta sexta-feira (2) os salários que estavam em atraso, dívidas e parcelas do Profut (Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro).


Desde o começo do ano, o Alvirrubro não consegue pagar o IPTU, integralmente. O presidente Estevan Pegoraro reitera que não dá mais para adiar a negociação com o município. E que esta reunião emergencial não pode passar de segunda-feira (5).

A dívida total do imposto é de R$ 1,9 milhão. O Noroeste pagou R$ 400mil e hoje o valor restante é de R$  1,5 milhão, com parcelas de R$ 32 mil por mês e mais R$ 13 mil mensais do ano vigente. 

Totalizando algo em torno de R$ 45 mil por mês, dinheiro este, que o Noroeste não tem. “Com a regularização integral dos débitos de INSS e FGTS, através do Profut, com o pagamento dos salários que estavam atrasados pelo bloqueio do repasse da verba da Tel e com as trabalhistas sendo pagas, mediante o aluguel do ginásio, nossa única dívida que permanece sem solução é o IPTU junto à prefeitura”, frisa Pegoraro.

O presidente ressalta ainda a situação já acertada em outras esferas. “Se o governo Federal fez a sua parte e a Justiça do Trabalho igualmente, não é possível que justo a prefeitura de Bauru passe a ser a única pedra no sapato do clube que tanto representa para seus munícipes”, reitera.

Projeto

A expectativa de Pegoraro é que o prefeito Clodoaldo Gazzetta (PSD), já cobrado constantemente, tanto pelo clube quanto pela imprensa, enfim, apesar de longa demora, encaminhe o tal aguardado projeto de lei à Câmara Municipal, já nesta segunda-feira (5), permitindo que entidades esportivas e sociais paguem um valor menor de IPTU, com a estipulação de um teto anual na casa de R$ 15 mil a R$ 20 mil. Outros clubes de Bauru apoiam Pegoraro. 

No caso do Noroeste, representaria uma redução de quase 85% em relação aos valores atuais. "Isso resolveria o problema do Noroeste, maior patrimônio esportivo da cidade e que desempenha um papel que é do poder público, promovendo entretenimento, lazer e diversão, por meio do esporte número um do País, o futebol. Isso precisa ser feito. Precisamos fazer o Noroeste sobreviver e ser autossuficiente. Por isso espero uma atitude rápida e eficaz do nosso prefeito Clodoaldo Gazzetta, bem como de nossos vereadores”, comenta o presidente noroestino.

Na espera de Gazzetta

O dirigente ressalta novamente que o Noroeste tem uma receita mensal na faixa de R$ 100 mil, e uma despesa de R$ 140 mil - o que justifica a inadimplência com o município, exatamente o valor dessa diferença (mais de R$ 40 mil). Para que esta adequação de valores seja feita, será necessário a aprovação da lei que permite a redução do IPTU para as entidades assistenciais (hospitais e santas casas) e para os clubes de desportos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário