segunda-feira, 24 de julho de 2017

Vitória arranca empate diante do Complexo com gol polêmico no final da partida

Por Juliano Gomes
Goleiro Diego do Complexo Mary Dota  intercepta o ataque da equipe do Vitória
Foto: Juliano Gomes / Tá na rede Bauru

Duelo válido pela primeira rodada do returno teve gol validado no final da partida em lance polêmico validado pelo assistente de arbitragem.


Jogando na manhã de domingo no estádio Silvio de Magalhães Padilha, na Vila Giunta, EC Vitória e Complexo Mary Dota protagonizavam um dos melhores e talvez até o melhor confronto da primeira divisão da Liga Bauruense até o momento.

Com duas viradas no confronto, o jogo seguia elevando a emoção dos torcedores que marcaram presença em bom número nas arquibancadas do estádio e prestigiavam o espetáculo que durou até os 36 minuos da etapa complementar quando o Vitória chegou ao terceiro gol, empatando a partida em um lance que gerou muita polêmica e indignação por parte de jogadores, Comissão técnica e torcedores do Complexo Mary Dota que vencia o confronto e se segurava da pressão adversária.

O jogo

O duelo começou eletrizante com ambas equipes demonstrando muita gana de vencer, jogando o tempo todo no ataque em busca da abertura do marcador, porém o primeiro a abrir o placar foi a equipe da Zona Leste.

Após cobrança de falta pelo lado direito no campo de ataque, a bola foi alçada na área e Murilo sobe mais que a defesa adversária pra testar firme e abrir o marcador para o complexo aos cinco minutos.

Disputa de bola no meio de campo em duelo marcado por gol polêmico
Foto: Juliano Gomes / Tá na rede Bauru

A resposta não demorou e após bela trama ofensiva, o Vitória chegou ao empate com Negueba aos oito minutos após o atacante invadir a grande área e bater cruzado, rasteiro vencendo o arqueiro do Complexo Mary Dota.

No final da primeira etapa, o Complexo chegou com muito perigo, após VH arriscar o chute de longa distância, a bola quicar na frente do arqueiro André que milagrosamente evitou o gols com os pés.

Na volta do intervalo, o Vitória chegou a virada após Chapelica tocar para Negueba, que despretensiosamente ajeitou a bola para Marinho invadir a grande área e chegar batendo de primeira, cruzado a meia altura, vencendo o arqueiro Diego do Complexo aos nove minutos da etapa complementar.

Insistente, o Complexo buscou o empate aos 24 minutos após Milton Porto assinalar pênalti e o camisa 3 Todynho bater com categoria no ângulo direito de André que novamente fez excepcional partida e foi fundamental no resultado do confronto.

Em bela trama ofensiva da equipe do Complexo Mary Dota, Mateus faz bela jogada pelo meia esquerda, leva a marcação para a linha de fundo e faz o cruzamento rasteiro para Alex escorar de pé direito pro fundo do gol colocando o rubro-negro em vantagem novamente no placar.

Muita correira e tensão após o gol e a equipe do Vitória se lançou ao ataque com o avançar do relógio em busca do gol de empate e em bela jogada individual de Marinho, o meia apareceu livre de marcação de frente com o arqueiro do Complexo para tocar com categoria por cobertura sobre Diego que se esticou para evitar o gol. Na sequência da jogada em meio ao tumulto na área, uma cabeceada também por cobertura obrigou a zaga a afastar o perigo aos 36 minutos da etapa final .

Após os lances, a partida paralisou depois que o primeiro assistente José Nogueira confirmou o gol da equipe do Vitória na jogada do meia Marinho informando ao árbitro Milton Porto que o arqueiro havia tirado a bola de dentro do gol.

Inconformados com a decisão, o banco de reservas do Complexo Mary Dota partiu em direção ao assistente exigindo explicação sobre o lance que mesmo sob pressão confirmou ao árbitro o gol. Depois de muita discussão e pressão de ambas equipes sendo que o Vitória exigia a validação do gol e o Complexo pedia a anulação, o árbitro Milton Porto confirmou o gol para o meia Marinho e encerrou a partida confirmando o empate.

Nenhum comentário:

Postar um comentário