PESQUISE

Esporte e Saúde #19 - Álcool e Atividade Física




Bom galera, hoje vamos falar um pouco sobre a relação entre álcool e a atividade física.

Muitas pessoas gostariam de ter certeza se essa incompatibilidade é mito ou verdade. Vamos tentar tirar algumas dúvidas:

Especialistas afirmam que bebidas alcoólicas e exercícios não podem ser associados. Segundo eles, existem uma série de motivos para que essa combinação não seja feita, tais como:



  • Quem consome álcool e pratica exercícios físicos, tem uma diminuição da qualidade física, pois a bebida diminui a força, a velocidade, a capacidade respiratória e muscular, o equilíbrio e prejudica a respiração.


  • Uma das consequências mais comuns da combinação é a desidratação. O álcool tem efeito negativo sobre a função renal, fazendo com que haja uma perda de água e eletrólitos através do suor e da urina.


  • Um dos problemas a curto prazo que acaba sendo um dos maiores inimigos da boa forma é a diminuição da capacidade do corpo em absorver vitaminas e minerais. Pois enquanto o fígado está trabalhando para eliminar as toxinas, acaba eliminando também outras vitaminas e minerais que deveriam ser absorvidas. Com isso, o corpo acaba eliminando uma grande quantidade necessária de nutrientes pela urina. Ou seja, vai faltar vitamina e vai sobrar gordura. Por isso o rendimento do atleta costuma ficar muito denegrido após um fim de semana de bebedeira.



  • A diminuição de eletrólitos e água, pode promover arritmia cardíaca, fazendo com que o coração bata fora de compasso.


  • Uma forte bebedeira acaba causando deficiência de vitaminas B1, B2, B6, B12 e C, todas vitaminas importantíssimas para quem pratica musculação, como já vimos por aqui. É praticamente impossível conseguir massa muscular quando se está deficiente dessas vitaminas. A vitamina B2, por exemplo, é responsável por favorecer o metabolismo na sintetização de gorduras, açúcares e proteínas.


  • Outro efeito é o temido aumento de peso, devido a grande quantidade de calorias.


  • Na parte hormonal, o álcool também trabalha de forma prejudicial. O álcool interfere no hipotálamo, na hipófise e também nos testículos, que são os encarregados pela função reprodutiva de testosterona, o hormônio masculino principal responsável pela característica e força muscular. Por isso que, quem bebe muito acaba, com o tempo, perdendo boa parte das principais características masculinas. Em mulheres esse caso também se agrava, ocasionando problemas severos no metabolismo ósseo, assim como os distúrbios menstruais decorrentes também do desequilíbrio hormonal.


  • Tem também a hipoglicemia que é muito comum em quem mistura álcool com exercícios,a atividade física já promove uma diminuição da glicose,e o álcool acentua ainda mais essa redução ai o corpo começa a usar a proteína como fonte de energia, pois não há mais glicose no organismo.


  • A diminuição da síntese protéica em decorrência da ingestão de bebida alcoólica sempre acontece, até mesmo em pouca quantidade. O problema é que, quem espera resultados, não pode nem pensar em abalar sua capacidade de sintetização de proteínas. Calcula-se para quem costuma beber muito seguidamente, uma perda de até 20% da musculatura, que acaba sendo substituída por células de gorduras no final da história.


  • O efeito da ingestão de bebidas alcoólicas dependerá de diversos fatores, entre eles o gênero do individuo. 


Enfim,caso queira consumir beba socialmente, com responsabilidade, cada pessoa sabe o seu limite, tendo sempre a consciência de que mesmo socialmente a bebida alcoólica interfere nos resultados em ralação aos exercícios físicos, que tal trocar por água?


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.