PESQUISE

Em sua primeira edição, Copa Nove de Julho revela dezenas de jogadores e mostra indícios de um bom legado


Deivid (ao centro) com troféu de artilheiro da Copa

A primeira Copa Nove de Julho chegou ao fim. Mas não poderíamos deixar passar e de ressaltar alguns dos jogadores que chamaram a atenção nestes dois meses de campeonato e que assumiram com responsabilidade certos protagonismos.

Mesmo destacando aqueles que já atuam no futebol amador da cidade, como nos casos de Luquinha, Bico, Daniel Cesario, Lela e Jorjão, que jogaram pelo time do Pequi; de Barriga, que atuou pelo Os Quebradas; de Amarelo, Luizinho, Eto’o e Índio que jogaram pelo 100% Nove de Julho, além da imponência do time do Almeida, que contou com Popó, Nil, Rafa, Canário, Thiaguinho, Alemão, Gabi, Silvinho e Gilsinho; vale destacar aqueles que ganharam destaque jogando no terrão da Vila Nove de Julho:

Emerson Gallindo e Elvis Henrique (do Real Madri), Michael Douglas, Marciel e Marcos (do Guarani), Alessandro e Luiz Fernando Rebolho, Diego e João Vitor (do Os Quebradas), Jair, Robert, Edney, Rodrigo, Adriano e Uanderson (do Jaraguá), além de Deivid, Diego, Rodrigo, Willian e Edward (do Só Alegria). Ao lado deles, Vinicius e Jacaré, do 100% Nove de Julho, foram alguns dos gratificantes nomes despontados na Copa.

Conversamos com três deles que tiveram participações importantes e até fundamentais em suas respectivas equipes: O zagueiro Gabi, do Almeida; o jogador Vinicius, do 100% Nove de Julho; e o artilheiro Deivid, do Só Alegria. Eles falaram sobre a participação de seus times durante o campeonato, da atuação na final e também deram uma peleja sobre o que poder vir num breve futuro.

Para Gabi, líder e capitão do Almeida, a humildade do time foi fator determinante para que conquistassem o título: “Primeiramente agradeço à Deus (pelo título), pois nós O colocamos à frente de tudo. Depois disso ressalto a humildade que o nosso grupo teve. Fomos muito humildes, principalmente depois que Silvinho, o Gilsinho, o Tander, não puderam vir em algumas partidas no começo e depois disso fechamos o grupo. Nos unimos. Com toda essa molecada daqui mesmo da Vila, do Parque Jaraguá, nós conseguimos levantar o caneco.”

O jogador que tem passagens no amador por Jaraguá e Barcelona, agradeceu inclusive a nossa equipe pela cobertura do campeonato que enalteceu a comunidade e alavancou futuros jogadores para as competições amadoras da cidade:


“Agradeço a vocês também, do Tá na rede, pela organização que tiveram. Vocês são um exemplo por mostrarem e revelarem a molecada do terrão que futuramente vão para o amador.”

Ele ainda faz uma revelação pessoal e promete mais força do time do Almeida para a próxima edição da Copa:

"Agradeço também a vida do meu irmão, que através desse torneio nós voltamos a conversar depois de seis anos sem contato. Mas logo estaremos de volta. Iremos cada vez mais forte pra cima dos adversários.”

Time a ser batido no campeonato inteiro pela organização e imposição de um complicado estilo de jogo sobre o adversário e também pelo seu poderio ofensivo, o 100% Nove de Julho teve Vinicius entre um dos seus destaques. O jogador, que fará parte do elenco da equipe na disputa da 2ª divisão da Liga Bauruense, resumiu a atuação do time na final e também ao longo da competição:

“A expectativa era grande e muito forte em cima da gente. Um time da comunidade formado por uma molecada que se conhece desde criança. Infelizmente não conseguimos a vitória. Eles (Almeida) entraram muito mais fortes, mais focados que a gente e jogaram em cima dos nossos erros e foram felizes. É claro que nós ficamos chateados pela campanha que nós fizemos, pela união que tivemos desde o primeiro jogo. A gente queria ser campeão. Não falo em decepção porque também entramos focados, só que eles também entraram bem e temos que reconhecer que o time deles é bom, e infelizmente na final foi superior ao nosso.”

Em seguida ele faz a projeção da campanha do time na disputa da segundona:

“Na segunda divisão a expectativa é a mesma.Vamos trabalhar firme, ver onde a gente errou, manter os pés no chão, levantar a cabeça e ir pra cima, porque futebol é isso aí, nem sempre o melhor ganha. Nós vamos lutar porque se Deus quiser a gente vai ser campeão.”

Para Deivid, do Só Alegria, a satisfação de levar o troféu de goleador do campeonato para casa, estava inevitavelmente estampada em sua face. O jogador marcou dez gols e ficou isolado no primeiro lugar da artilharia:

“Fiquei com muita alegria né. O time todo lutou, eles me ajudaram. Foi um campeonato difícil em que nós perdemos alguns pontos importantes lá atrás e acabamos desclassificados na primeira fase. Mas mesmo assim alguma coisa a gente conseguiu. O mérito é do time inteiro. Estamos de parabéns, foi um torneio sensacional.”


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.