n':

PUBLICIDADE

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

De olho em ‘trinca’ e no G4, Genter Vôlei Bauru encara Sesi

Gente Vôlei Bauru treina no GinásioPanela de \Pressão de olho em uma vaga no G4
Foto: Neide Carlos / Genter Vôlei Bauru

Fora de casa, time bauruense tenta terceira vitória consecutiva e retornar ao grupo dos quatro melhores colocados da Superliga.



O Genter Vôlei Bauru terá mais uma chance nesta quinta-feira, 23, para tentar ingressar no G4 da Superliga. O time bauruense encara o Sesi, a partir das 19h, em Santo André, na abertura da oitava rodada do returno de olho na terceira vitória consecutiva e também no grupo dos quatro melhores classificados, que terão a vantagem de escolher os mandos dos jogos nas quartas de final.

Atualmente em quinto lugar na tabela de classificação com 34 pontos, o Genter Vôlei Bauru está a dois pontos do atual quarto colocado, o Minas, que nesta rodada terá pela frente o Fluminense, em Belém do Pará. Para chegar ao G4, a equipe teria de superar as paulistas por 3 a 0 ou 3 a 1 e torcer por uma derrota das mineiras pelos mesmos placares diante das cariocas. Desta forma, as bauruenses chegariam aos 37 pontos e assumiriam o quarto lugar, deixando o Minas em quinto com 36 pontos.

Foto: Neide Carlos / Genter Vôlei Bauru

O Sesi é um “velho conhecido” para algumas atletas do elenco bauruense, como as ponteiras Mari Cassemiro e Carol Westermann, a central Angélica e a oposta/ponteira Dayse, que já atuaram pelo clube paulista em temporadas passadas. No último confronto entre as equipes, ainda pelo primeiro turno da Superliga, o time bauruense levou a melhor e superou as rivais por 3 sets a 0 (parciais de 25/17, 25/23 e 26/24) no Ginásio Panela de Pressão.

O rival desta quinta-feira não tem feito boa campanha na Superliga 2016-2017, pois em 18 jogos só conquistou duas vitórias e teve 16 derrotas, ocupando a penúltima colocação. No entanto, o time paulista conta com um dos grandes destaques individuais da competição: a oposta Lorenne, atualmente a segunda maior pontuadora do Nacional com 281 pontos, apenas três a menos que a líder Rosamaria, do Minas, que tem 284.

Apesar de ter um dos grandes talentos da atual edição da Superliga, o Sesi sofreu grande reformulação para essa temporada e passou a apostar em um elenco mais jovem, como a própria Lorenne, a levantadora Giovana e a líbero Laís. Para o técnico Marcos Kwiek, o fato do adversário não ter mais chances de avançar às quartas de final, porém ainda lutar contra o rebaixamento – os dois últimos colocados caem para a Superliga B –, deve ser fator de alerta para o time bauruense.

“O grande perigo é nós relaxarmos e acharmos que o Sesi não vai oferecer resistência, quando é justamente o contrário. O Sesi é um time que está jogando solto, pois não tem mais chances de classificação, mas conta com jogadoras que estão buscando afirmação na Superliga e que vem jogando bem, mas não tem conseguido vitórias por falta de experiência em momentos decisivos”, observa Kwiek. E acrescenta:

“Mas isso não quer dizer que seja uma equipe fácil de ser batida, ainda mais jogando em casa. Todo cuidado é sempre pouco com adversários assim e nosso time não pode se dar ao luxo de ficar escolhendo jogos. Temos de continuar nossa evolução, trabalhando jogo a jogo e para nós hoje o Sesi é o adversário mais difícil da Superliga.”

Foto: Neide Carlos / Genter Vôlei Bauru

A central Angélica também segue igual raciocínio e considera o Sesi um adversário perigoso, especialmente por ainda lutar contra a queda à Superliga B. “Primeiro porque elas jogarão dentro de casa e isso faz com que saquem com mais coragem. Isso as torna muito perigosas neste fundamento, pois elas não têm o que perder e são franco-atiradoras. É um time que, apesar de não ter mais esperanças de classificação, luta contra o rebaixamento e, por isso, será um dos jogos da vida dessas meninas. Não se pode relaxar contra um time desses”, salienta a capitã do Genter Vôlei Bauru.


Mari recuperada

Após ter ficado de fora do jogo contra o Pinheiros, na última sexta-feira, em Bauru, a oposta/ponteira Mari está recuperada de desconforto muscular no abdômen e está a disposição da comissão técnica para o duelo desta quinta contra o Sesi, em Santo André.


Sete nas quartas

Faltando quatro rodadas para o encerramento do returno, as quartas de final da Superliga, fase que reunirá os oito melhores colocados, já contam com sete times garantidos: Rexona-Sesc, Praia Clube, Vôlei Nestlé, Minas, Brasília, Genter Vôlei Bauru e Fluminense.

A próxima fase deve se iniciar em meados de março e será disputada no sistema de playoff melhor de três partidas. O regulamento da competição determina que os confrontos obedecerão aos seguintes cruzamentos: 1º x 8º, 2º x 7º, 3º x 6º e 4º x 5º.

Após enfrentar o Sesi nesta quinta, os próximos desafios do Genter Vôlei Bauru na reta final do returno serão, pela ordem, o Rio do Sul (3/3, às 19h30, em Bauru), Brasília (7/3, às 18h, em Taguatinga) e Osasco (11/3, às 14h10, em Bauru).



Nenhum comentário:

Postar um comentário