PESQUISE

Com outra grande atuação de Lucão, Bauru vence o Minas e segue vivo na Liga Sul-Americana

Por Edielson Pereira


Lucas Mariano (à esq) e Gustavo Basílio (à dir) comemoram ponto da equipe de Bauru
Foto: Divulgação FIBA

Cestinha da partida, pivô marca 18 pontos e ajuda Dragão a respirar no torneio internacional. Vice-líder, desafio agora é contra os donos da casa.

Foi no sufoco, mas valeu a pena. Em partida decidida nos instantes finais no ginásio Coliseo Evangelista Mora em Cali, o Bauru Basket superou na noite desta quarta-feira (17/10) o time do Minas Tênis Clube pela segunda rodada do grupo C da Liga Sul-Americana.

Depois de tropeçar na estreia para o Quimsa (derrota por 86 x 80 na prorrogação), os comandados do técnico Demétrius Ferracciú voltaram a fazer um jogo de muita oscilação e por pouco não viram o filme se repetir diante dos seus conterrâneos.

Aliado a erros simples do oponente especialmente no último quarto, o time bauruense aproveitou melhor as oportunidades e fechou o triunfo no placar de 75 a 70 (parciais de 15 x 21; 17 x 17; 23 x 20; 15 x 17).

Com essa vitória, o Dragão assumiu a vice-liderança da chave com 3 pontos ganhos levando vantagem nos critérios de desempate em relação ao próprio Minas, que está na 3ª colocação.

No outro jogo do grupo, o Quimsa bateu com muitas dificuldades o Fast Break del Valle pelo placar de 88 a 85 e assumiu a liderança. 

Com duas vitórias em dois jogos os argentinos jogarão agora diante do Minas nesta quinta-feira (18/10) às 20:45 enquanto que os bauruenses jogarão na partida de fundo diante dos anfitriões com transmissão ao vivo do SporTV 2 e rádios Jovem Pan News Bauru e Jornada Esportiva.

O jogo


atletas de ambas as equipes respeitaram um minuto de silêncio antes do confronto
em homenagem a Patrick Baumann, ex-secretário geral da FIBA
Foto: Divulgação FIBA

O jogo começou e depois de um erro de ataque de cada lado, Dominique Coleman foi quem tirou o zero do placar com uma cesta de três a favor do Minas. Larry respondeu com duas cestas em dois ataques e virou a partida para os bauruenses em 4 a 3.

Jefferson Campos fez mais dois para o Minas e o Bauru então emplacou uma sequência de cinco bolas de três consecutivas com Lucas Mariano, Basílio, Larry Taylor e Enzo Ruiz (duas vezes) para abrir oito de frente: 11 a 19.

Basílio converteu ainda mais dois pontos e os paulistas venceram o primeiro quarto pelo placar de 15 a 21.

2º quarto: No segundo período, com a rotação promovida pelo coach bauruense, o Dragão perdeu intensidade e o Minas cresceu na partida. Depois de quase dois minutos de jogo sem ninguém pontuar, o ex-atleta bauruense e armador Gegê converteu uma cesta de três em favor do Minas e baixou a diferença em 18 a 21.

Na sequência Coleman fez mais dois e a vantagem do Bauru caiu para apenas um ponto. Basílio então foi o primeiro a balançar as redes da cesta adversária e colocar 20 a 23, a 6:57 do fim do período.

O Minas continuou em ascensão e chegou a virar o marcador em cesta do americano Samuel Daniel, que deixou 26 a 25 no placar. O Bauru então despertou e retomou a dianteira do marcador para terminar o primeiro tempo com vantagem de seis pontos, depois que Lucas Mariano (4), Jefferson (5), Basílio (2) e Cauê Verzola (2) pontuaram em favor dos paulistas: 32 a 38.


Fúlvio no arremesso para pontuar para o Bauru
Foto: Divulgação FIBA

3º quarto: No terceiro período de jogo o Bauru voltou à quadra com Cauê Verzola, Larry Taylor, Lucas Mariano, Enzo Ruiz e Jefferson. Já o Minas, do técnico Espiga, retornou com Leozão, Coleman, Jefferson Campos, Gegê e Wesley.

Jefferson e Ruiz abriram logo cinco a zero no quarto em favor do time de Bauru. O placar apontando em 32 a 43 fez com o que o treinador adversário pedisse tempo para reajustar a sua equipe.

Na volta, Bauru abriu uma corrida de 6 a 0 (34 a 49) e na sequência sofreu uma corrida de 10 a 2 no placar (44 a 51), que fez o técnico Demétrius Ferracciú pedir tempo. O Minas engrossou o jogo para o lado bauruense e terminou o quarto com vitória por 23 a 20 e 55 a 58 no placar.

4º quarto: No último período o equilíbrio sobressaía e trazia à memória bauruense as mesmas circunstâncias do duelo ocorrido no dia anterior, quando perdeu por detalhes. Gegê (3) e Leozão (2) anotaram para o Minas e empataram o jogo em 60 a 60.

Larry Taylor (2) e Lucão (1) colocaram mais três de frente e fizeram o técnico Espiga pedir tempo novamente: 60 x 63. Jé ampliou a vantagem bauruense para 60 a 67 e na sequência Wesley cometeu uma falta técnica, a sua quinta individual no jogo, e deixou a quadra mais cedo.

A medida em que o tempo passou e o fim do duelo se aproximou, Bauru ampliou com Lucão e Jefferson abrindo dez pontos de diferença. Daniel converteu de três para os minastenistas deixando 63 a 70 no placar. Jé fez mais dois (63 a 72), Coleman mais três (66 a 72), Larry fez mais um (66 a 73) e Daniel fez mais uma de três (69 a 73). 

Demétrius então pediu tempo, ajustou os últimos detalhes para que a equipe fortalecesse a marcação, ampliasse o marcador para 75 a 70 e comemorasse enfim sua primeira vitória no torneio continental.

De quebra, o Bauru pôs fim à sequência incômoda de três partidas seguidas sem vitória e um amargo retrospecto recente de apenas uma vitória nos últimos oito jogos disputados.

Números


Larry Taylor (à esq) foi um dos destaques do time de Bauru com 21 de eficiência
Foto: Victor Lira (Bauru Basket)

Lucas Mariano com 18 pontos, 7 rebotes e 5 assistências foi o maior destaque do jogo. Com todas essas anotações o atleta atingiu 25 de eficiência. 

Além dele, Larry Taylor (16 pontos, 7 rebotes e 9 assistências), Jefferson (12 pontos, 5 rebotes, 2 assistências e 4 roubadas de bola) e Enzo Ruiz (11 pontos e 2 rebotes) chamaram a atenção pelo lado do Bauru.

Pelo lado de Minas o maior destaque ficou para o armador Gegê, que marcou 14 pontos, 4 rebotes e 6 assistências e um total de 21 de eficiência.

Che Bob (12 pontos, 4 rebotes e 1 assistência), Dominique Coleman (11 pontos, 7 rebotes e 2 assistências) e Leozão (10 pontos, 6 rebotes e 1 assistência) também se destacaram.



Como fica?

Quimsa e Minas se enfrentarão na partida preliminar de hoje e por conta disso Bauru já terá noção da sua realidade no torneio quando entrar em quadra contra o Fast Break.

A possibilidade de acontecer um empate triplo na liderança da chave existe, e porventura acontecendo, o confronto direto e saldo de cestas são levados em consideração como critérios de desempate.

Sobretudo a matemática para o Bauru é simples: vencer a equipe colombiana para tentar pleitear pelo menos uma vaga na próxima fase como uma das melhores equipes tidas na terceira colocação.



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.