PESQUISE

Com placar centenário e duas prorrogações, Bauru supera o Brasília e vence mais uma no NBB

Redação TNRB

Lance livre de Jefferson William, destaque da noite com um duplo-duplo
Foto: Victor Lira / Bauru Basket

Meus amigos, e minhas amigas. Que jogo foi esse entre Universo/Brasília e Bauru Basket pela (somente) terceira semana do Novo Basquete Brasil? Simplesmente incrível!

Certamente não haverá adjetivos para descrever o jogaço que foi, equilibrado do início ao fim, na noite desta quarta-feira (31/10) no ginásio da ASCEB na capital federal.

Numa partida que além de aguerrida, também ficou marcada para trazer a Jefferson William a superação do recorde pessoal de sua carreira.



O ala/pivô de 33 anos brilhou na partida. Com atuação de gala, o atleta anotou 37 pontos, pegou 11 rebotes e ainda quase bateu um triplo-duplo ao anotar 8 assistências. Jé teve ainda a oportunidade de converter bola decisiva de três pontos, a seis segundos fim, para livrar o Dragão da derrota, empatar a partida e levar para a primeira prorrogação.

Para um time que já foi para a partida desfalcado de Alex Garcia, Gabriel Jaú e Larry Taylor, teve de lidar ainda com a ausência do armador Fúlvio, que também lesionado, foi poupado para não agravar sua contusão. Em decorrência disso, o técnico Demétrius Ferracciú teve um jogador a menos em sua rotação.


Não bastasse, Gui Santos voltou a sentir dores no seu joelho direito (recentemente operado) e não jogou mais a partir do terceiro quarto. Samuel e Basílio deixaram a quadra com cinco faltas cometidas e Cauê Verzola jogou pendurado com 4 fouls. 

Ruiz esteve apagado e teve atuação discreta. Em contrapartida Lucão jogou demais e Renato colaborou com uma bola de três importantíssima para o momento em que foi convertida, já nos tempos da prorrogação.

Bauru teve de tudo em adversidade para sair de quadra derrotado. Mas pra quem está acostumado a reverter situações adversas, a vitória se tornou de fato uma simples questão de tempo.

Brasília vendeu muito caro a sua derrota (a quinta em cinco jogos). Os candangos bateram de frente, foram aguerridos, tiraram desvantagem, viraram o placar e acabaram perdendo porque foram displicentes no momento em que não poderiam.

Num duelo que chegou a ter duas prorrogações, o Bauru Basket, ainda oscilante e com defesa vulnerável, tirou forças de onde não teve para triunfar em território adversário e trazer para Bauru a sua primeira vitória como visitante neste NBB.

O jogo

#NBBnoTwitter

O primeiro quarto foi disputadíssimo. Jefferson e Basílio pelo Bauru, além de Zach Graham pelo Brasília, não descansaram um minuto e jogaram todo o período. Maior pontuador do quarto, o gringo do Brasília colaborou com nove pontos dos 23 anotados (aproveitamento de 60%).

Entretanto, melhor do que o desempenho do norte-americano foi o do ala/armador Gui Santos, que de seis pontos tentados converteu os seis, e se tornou assim o maior pontuador do time bauruense. Na parcial, o Dragão anotou 24.

2º quarto

No segundo período de jogo o equilíbrio se manteve. As equipes alternavam cestas e não restou outra alternativa ao time da casa a não ser a de correr atrás dos visitantes durante todos os dez minutos.

Bauru aproveitou a pouca vantagem de frente para não deixar o time da casa virar e dar ainda mais trabalho. O ala/pivô porto-riquenho Ricky Sánchez foi o nome do quarto. Com oito pontos convertidos dos oito tentados, o atleta de 31 anos bateu 100% de aproveitamento nos chutes.

Logo na sua cola apareceu Jefferson William, que com sete pontos, três rebotes e uma assistência, colaborou bastante com o Dragão para encerrar o primeiro tempo em vantagem de 47 a 50.

3º quarto

No terceiro período foi a vez de Zach Graham e Pedro aparecerem e chamarem a responsa para o time da casa. Com sete de eficiência, o ala/armador colaborou com quatro pontos e três rebotes defensivos, enquanto que o americano foi o maior pontuador do quarto para os brasilienses com seis pontos e um rebote.

Pelo lado bauruense, Gui Santos sentiu dores no joelho e foi o primeiro a deixar a quadra. Ausente, o Bauru ficou apenas com Cauê Verzola na armação. No período, Jé puxou a pontuação bauruense de novo ao fazer oito pontos, pegar dois rebotes e mais duas assistências. Lucão também se destacou ao obter seis pontos e um rebote.

Num jogo novamente parelho, Bauru venceu o quarto por 20 a 25 e abriu oito pontos de vantagem para o quarto final: 67 a 75.

4º quarto

O quarto período mal havia começado e Samuel foi o segundo atleta bauruense a deixar a quadra ao cometer sua quinta falta.

O Brasília porém começou de forma fulminante ao abrir logo 10 a 0 no período com pontos de Arthur (4), Graham (3) e Sánchez (3). Bauru diminuiu com Jé (10 a 2), mas Graham fez mais três e deixou o placar do jogo em 80 a 77.

O Bauru tentava não permitir a desgarrada no marcador dos donos da casa e também buscava colar no placar. Basílio, no entanto, cometeu sua quinta falta e deixou a quadra a 3:16 do fim do jogo com o placar apontando 80 a 81 para o Bauru.

Com mais essa dificuldade, o Dragão viu novamente o Brasília virar com Graham em cesta de três.


A poucos segundos do fim, Nezinho teve a chance de converter em sequência quatro arremessos livres (dois por falta sofrida por Lucas Mariano e mais duas em decorrência da falta técnica cometida por Demétrius Ferracciú). O armador porém converteu apenas dois e deixou o placar em 87 a 85.

Cauê converteu um e desperdiçou outro lance livre para o Bauru (87 x 86). Arthur fez mais dois para os donos da casa a oito segundos do fim (89 x 86). Dema pediu tempo para desenhar o seu ataque. Cauê cobrou reposição para Jefferson que de três, chutou para converter e empatar a partida: 89 x 89. 

Arthur, do Brasília, se machucou sozinho na jogada e saiu para não mais voltar. O Brasília desperdiçou o ataque seguinte e o cronômetro zerou. Final de jogo e prorrogação encaminhada.

1ª prorrogação

O jogo teve seu reinício e Sánchez fez 1 a 0 no quarto para o Brasília. Cauê, de três, recolocou o Bauru em vantagem: 90 a 92. Numa girada linda no fundo de quadra, Jefferson guardou mais dois para o Bauru e aumentou de forma suave a sua vantagem.

O Brasília desperdiçou dois ataques seguidos e Jé converteu mais cinco pontos para fazer 1 a 8 no quarto para o Bauru e 90 a 97 na partida.

André Germano pediu tempo, ajustou sua equipe que voltou à partida e cortou a diferença de desvantagem. Pedrinho (2), Rafa (3), Sánchez (3) e Nezinho (2) marcaram para o Brasília, enquanto que apenas Jé (2) e Cauê (1) anotaram para o Bauru. Final de período em 11 a 11 e de prorrogação em 100 a 100.

2ª prorrogação


Na segunda prorrogação os atletas já estavam exaustivamente desgastados. Porém menos cansado estava o Bauru. Jé abriu 2 a 0 para os visitantes. Graham empatou. Renato (3) e Jé (2) converteram para o Bauru e abriram cinco de frente: 102 a 107.

Rafa Moreira, do Brasília, deixou o jogo com quinta falta. Jé fez mais um (102 a 108), Nezinho converteu mais três (105 a 108) e recolocou o Universo na partida.

Porém com cestas de Ruiz (1), Cauê Verzola (2) e Jefferson William (2), o Dragão se superou e superou o Brasília para fechar o placar em 105 a 113.

Abre aspas

"Hoje nosso time se superou dentro de quadra e jogou com raça e com energia. Tivemos alguns desfalques durante o jogo, então ficamos com uma rotação pequena. Mesmo com o jogo indo para duas prorrogações, o time se doou em quadra e não desistiu em nenhum momento", destacou o técnico Demétrius Ferracciú via assessoria de imprensa.

Breaking records

Jefferson William fez a sua melhor atuação na história do NBB aos superar seus antigos 32 pontos e 7 rebotes para os atuais 37 pontos e 11 rebotes, em 47 minutos jogados:

"Estou muito feliz com a vitória de hoje. Foi um jogo de superação para nós, principalmente porque não estamos tendo um bom início de campeonato. Todo mundo sabe que jogar em Brasília é difícil e que eles têm feito boas partidas, apesar de ainda não terem vencido. Acho que o jogo de hoje foi de concentração também, porque conseguimos realizar as jogadas que o Demétrius pedia e nossa bola girou melhor", declarou também via assessoria.

Números



Além de Jé que com a sua numeralha antou 42 de eficiência, o Bauru teve como destaques Cauê Verzola (17 pontos, 8 rebotes e 2 assistências -> 21 de eficiência) e Lucas Mariano (16 pontos, 8 rebotes e 1 assistência -> 16 de eficiência).

Pelo lado dos mandantes o grande destaque foi para Zach Graham que fez 33 pontos, 7 rebotes e 3 assistências -> 30 de eficiência). Além dele, chamaram a atenção Ricky Sánchez (18 pontos, 3 assistências e 22 de eficiência), e Arthur (14 pontos, 5 rebotes e 5 assistências -> 19 de eficiência).

Como fica

Com esta vitória, o Bauru chegou a duas nesta temporada e ganhou uma posição na tabela de classificação ao atingir sete pontos e aproveitamento de 40% no 11º lugar (ultrapassando o São José).

O Brasília por sua vez permaneceu no 13º posto com cinco derrotas em cinco jogos e só não está pior do que o Basquete Cearense, que ocupa a 14ª colocação.

Na próxima partida o time do Distrito Federal receberá no ginásio da ASCEB a equipe de Franca no dia 02/11 às 19:15, enquanto que o Dragão viajará para Fortaleza para encarar o Basquete Cearense, também na sexta-feira 02/11 porém às 20:00 no Centro de Formação Olímpica.



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.