Parceiro

Zagueiro artilheiro, Jean Pierre completa 50 jogos no Noroeste

Redação
Zagueiro tem se tornado referência no sistema defensivo da equipe bauruense
Foto: Bruno Freitas / ECN

Um dos melhores cabeceadores nas divisões de acesso do Paulista, filho do povoado com 800 habitantes de Caruaru, no município de Conceição do Coité (BA), o jogador já marcou 14 gols na carreira, quatro no Norusca e projeta subir com o Alvirrubro para a Série A2 


Um atleta sério, dentro e fora das quatro linhas, extremamente dedicado e com afinco em defender a camisa noroestina, o zagueiro Jean Pierre, 25 anos, completa neste domingo (17), em jogo contra o São Bernardo, no Alfredão, às 11h, a importante marca de 50 partidas com a camisa do Noroeste. Número expressivo e que gera identidade com o clube e torcida. Antes de Pierre, alcançaram essa marca, mais recentemente, o meia Leandro Oliveira e volante Maicon Douglas, atualmente ambos em outros clubes.

Jean Pierre e seu companheiro de defesa Junior Campos formam a dupla de zaga menos vazada na divisão, com apenas dois gols sofridos em sete jogos.Jean tem uma história de infância simples, na qual precisou deixar o pequeno povoado de Caruaru, onde nasceu e cresceu, área rural do município de Conceição do Coité (BA), aos 14 anos de idade, para poder realizar o sonho de jogar futebol. Neste povoado, com cerca de 800 a 1.000 habitantes, distante 15 quilômetros da área urbana do município, Jean deu seus primeiros passos no futebol.

O INICIO

O filho do casal João Militão e Vanderli Freitas, irmão do caçula Miguel e hoje casado com Ana Kézia Militão, ainda sem filhos, Jean Pierre recorda com carinho dos seus primeiros treinadores no futebol. “Ainda na infância, houve uma peneira do Grêmio (RS) na minha cidade, onde participei com 14 anos e não fui aprovado. Naquela época nem pensava em futebol, eu queria mesmo era estudar. Mas depois passei a jogar na escolinha ASSEC, com os professores Ocimar Bonfim e Edmundo. Depois joguei na base no Red Bul Brasil e comecei minha carreira”, revela o zagueiro.

ZAGUEIRO ARTILHEIRO

Na sequência, Jean Pierre atuou ainda no América Mineiro, onde se profissionalizou, Esportivo de Bento Gonçalves, Atibaia, Fernandópolis, Grêmio de Presidente Prudente e Matonense. Ao todo, foram 14 gols marcados, a maioria de cabeça, nos quais quatro foram com a camisa noroestina, na qual ele veste desde a Copa Paulista de 2017. “É uma marca importante, num time de camisa e tradição e quero ser muito feliz aqui e conquistar os nossos objetivos nesse ano”, disse o atleta.

FAMÍLIA

Agarrado a religião cristã, Jean é um jogador que valoriza muito a família. Ele destaca a falta que fazem, pela distância, todos os familiares que ainda vivem em Conceição do Coité (BA), e que a esposa sempre foi um pilar que o ajudou demais nos momentos difíceis e nas incertezas do futebol. “Conheci a minha esposa em fevereiro de 2012, em Campo Formoso (BA), há exatamente sete anos. Estamos casados há três e ela sempre me acompanha nessa vida do futebol. Antes dela, a vida de alojamento era difícil. Passar por situações difíceis sozinho era muito complicado, e ela é a minha guerreirinha, como a gente diz na linguagem do futebol”, destacou o camisa 3 do Norusca.

O que chama a atenção também em Jean Pierre é a articulação com as palavras, a forma de se expressar nas entrevistas e a inteligência na hora de fazer a leitura de jogo. Atleta com alto nível intelectual que tem contribuído muito com a busca do Norusca de se recolocar na Série A2.

FUTURO

“Meu objetivo maior no Noroeste é o Acesso e meus sonhos no futebol são de disputar grandes competições, alcançar meu auge daqui dois, três anos e continuar crescendo. No futuro, penso sim em seguir estudando e continuar no futebol, na beira do gramado”, finaliza o beque, autor do gol salvador da última quarta-feira, que evitou o que seria a primeira derrota do Norusca no Paulistão.

Fonte: EC Noroeste


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.