Parceiro

Beija-Flor vence clássico e assume a liderança da Copa Semel

Beija-Flor em lance de ataque após cabeceio do centroavante Porta
Foto: Nino Felipe


Jogando a partida de fundo do estádio Mirante Ferroviário, Beija-Flor e Redentor se reencontraram pela primeira vez após a decisão do título da competição em 2018 quando a equipe alviceleste ficou com o caneco, em confronto válido pela nona rodada da primeira fase.

Sob comando do técnico Batata, o Beija-Flor teve em seu favor, um primeiro tempo mais favorável, embora os primeiros minutos da partida, tenham sido marcados pela forte marcação de ambos lados.

O primeiro bom momento do alviceleste aconteceu logo aos seis minutos em chute cruzado,  de fora da área do meia Amaral, que obrigou o goleiro Carretel, do Peba, a fazer defesa difícil espalmando a bola pra lateral.

No segundo lance concreto de ataque, somente aos 30 minutos, o Beija-Flor abriu o marcador em boa jogada do lateral-direito Luís, que alçou a bola na pequena área, encontrando Porta, bem posicionado para finalizar no canto esquerdo de Carretel, colocando o Beija em vantagem.

O gol manteve a equipe ofensiva, buscando o segundo tento ainda antes do intervalo, mas o bom posicionamento defensivo do Peba, que perdia a liderança e invencibilidade naquele momento, evitava a ampliação do marcador, segurando o resultado até o intervalo.

No segundo tempo, a modificação da equipe do Peba, promovendo a entrada do meia -atacante Lutti deu mais mobilidade e velocidade ao setor ofensivo, fazendo com que a equipe passasse a ser dominante, marcando presença constante no ataque.

Porta comemora o gol que deu a vitória ao Beija-Flor no clássico contra o Peba
Foto: Nino Felipe

Aos 19 minutos, a grande chance de gol do Redentor veio através de Lutti, que recebeu bom passe do centroavante Fabio Santos e finalizou na saída do arqueiro Murilo, que interceptou o arremate com a perna esquerda, jogando a bola pra escanteio.

As investidas da equipe do Redentor não foram suficientes para levar perigo á meta do Beija-Flor, porém a equipe comandada por Lincoln buscava de todas as maneiras articular as jogadas na espera do melhor momento para a finalização.

Sem efetividade nas jogadas, o Redentor viu o adversário chegar com perigo aos 30 minutos, após Marlon se livrar do marcador pelo lado esquerdo do campo de ataque e da entrada da grande área, finalizar de pé direito,m no cando direito de Carretel que fez defesa segura.

O que parecia se encaminhar para um final tranquilo de clássico, acabou em tumulto generalizado depois do desentendimento do centroavante do Peba Fabio Santos com o lateral-direito Luís do Beija-Flor, resultando na entrada em campo de diretores e jogadores de ambas equipes que buscavam controlar os atletas, principalmente do Redentor, uma vez que o árbitro Edilson Pereira havia perdido completamente o controle da partida, favorecendo as reclamações e alteração dos ânimos de ambas equipes, resultando na necessidade da intervenção da polícia militar presente no estádio. Porém, mesmo com o apoio do policiamento, o árbitro decidiu por encerrar a partida faltando três minutos para o término do período de acréscimo estipulado, comunicando verbalmente a expulsão do centroavante do Redentor e do lateral-direito do Beija-Flor.

A vitória levou o Beija-Flor aos 20 pontos, quebrando a invencibilidade do Peba e assumindo a liderança por levar vantagem no saldo de gols contra a equipe do União Octávio Rasi que possui a mesma pontuação. O Redentor, com 19 pontos, aparece na terceira colocação.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.