Parceiro

Dupla de zaga se despede de Bauru rumo à Porto Alegre

Gustavo "Gigante" (esq.) e Da Mata seguram a bandeira do CT Craques do Futuro
Foto: Juliano Gomes / Tá na rede Bauru


Jovens promessas do futebol bauruense embarcarão na próxima terça-feira (30) com destino a Porto Alegre onde se juntarão aos demais jogadores do sub-13 do Grêmio FBPA após serem observados no CT Craques do Futuro em Bauru e passarem em avaliação no CT do clube gaúcho.

Integrantes do CT Craques do Futuro, coordenado pelo Profº Leandro Barboza, o Mumu, a dupla de zagueiros Da Mata, natural de Bauru e Gustavo Gigante, natural de Lençóis Paulista, estão de partida rumo ao Tricolor do sul do país após serem aprovados em teste. Nossa equipe aproveitou o treino desta sexta-feira para bater um papo com os garotos antes do embarque.

Durante o período de treino, os professores do Centro de Formação fizeram um trabalho mais leve, visando a preparação das equipes para os jogos semifinais da Copa Bauru na manhã desse sábado pela categoria sub-11, com vitória sobre o Foguinho Sports por 3x2 na disputa de pênaltis após empate sem gols no tempo normal; no sub-13 a vitória foi por 3x1 sobre o Estrelas do Amanhã e no sub-15, vitória por 2x1 sobre a EF Hebinho. Da Mata e Gigante integram a equipe até 13 anos e o bom posicionamento de ambos em campo despertou o interesses de diversos clubes, por onde os dois meninos já ficaram em períodos de teste e até mesmo defenderam outras camisas, dentre elas a do EC Noroeste. Estivemos no CT acompanhando os treinamentos e aproveitamos para conversar com os zagueiros. Confira:

Dupla de zaga durante treino do sub-13 antes das semifinais da Copa Bauru
Foto: Juliano Gomes / Tá na rede Bauru

TNRB: Quando vocês começaram no Craques do Futuro?
Da Mata: Comecei em 2012 no futsal e depois saí, voltando um ano e meio depois, em meados de 2014, no projeto do futebol de campo.
Gustavo Gigante: Comecei na Escolinha em 2017, quebrei o pé e fiquei fora por uns quatro meses, retornando em 2018.

TNRB: Vocês disseram que jogaram por clubes. Quais?
"Da Mata": Em 2016 fui monitorado pelo Desportivo Brasil e a cada dois meses eu ia para Porto Feliz para passar por avaliações. Em 2017 eu joguei o Paulista sub-11 pelo Noroeste, 2018 também joguei o Paulista sub-13 pelo Norusca e em 2019 joguei o Estadual sub-13 pelo Catanduva FC. Na verdade era o time do Novorizontino que estava no Catanduva.
Gustavo "Gigante": Eu também joguei o Paulista sub-11 e sub-13 pelo Noroeste em 2017 e 2018. Aí fui com o Da Mata para o Catanduva jogar o sub-13 desse ano.

TNRB: Por esses clubes que vocês jogaram, qual foi o aprendizado?
Da Mata: Aprendi muito sobre o jogo. A conduzir a bola, a cadenciar a partida, manter a bola no chão. No Noroeste eu me senti honrado por ter feito história no clube e representado a minha cidade.
Gustavo "Gigante": Ah, eu também fiquei muito feliz! Foi uma experiência boa, de bastante aprendizado assim como disse o Da Mata. Aprendi a cadenciar uma partida, manter a bola chão, essas coisas.

TNRB: Vocês já fizeram testes em várias equipes? O que aprendeu?
Da Mata: Sim! Já fiz teste no Palmeiras, São Paulo, Corinthians, Santos, Desportivo Brasil onde fui monitorado. Aprendi basicamente o mesmo de quando joguei nos outros clube. Mas aprendi também a não desistir.
Gustavo "Gigante": Fizemos testes juntos. Palmeiras, São Paulo, Santos, Desportivo Brasil e agora passamos no Grêmio.

TNRB: Qual foi a sensação quando vocês foram aprovados no teste?
Da Mata: Ah, fiquei muito feliz, saber que o esforço valeu a pena. É um sentimento de felicidade, honra por ter cumprido a meta.
Gustavo "Gigante": Também! O sentimento é de gratidão e honra por ter cumprimo a meta e passar no teste.

Da Mata (esq.) e Gustavo "Gigante" durante teste no Tricolor gaúcho
Foto: Arquivo Pessoal

TNRB: O que vocês esperam no Grêmio?
Da Mata: Espero firmar na equipe, me adaptar, entrosar com os companheiros.
Gustavo "Gigante": Espero me entrosar também com os companheiros o mais rápido, treinar bastante para se firmar na equipe. Lá eles disseram que querem que a gente vá com a equipe para um torneio na Argentina.

TNRB: Estamos finalizando (risos). Como foi a reação dos pais de vocês? Como eles estão assimilando isso?
Da Mata: Ah, minha mãe está muito preocupada. Ela entende, mas tem muito medo, já meu pai encara com mais tranquilidade até porque ele sempre me acompanha e foi comigo pro Sul quando passamos no teste.
Gustavo "Gigante": Meus pais encaram com naturalidade porque minha mãe e meu pai já conhecem bem como é isso. Minha mãe foi jogadora de vôlei profissional, Juliana Benedetti, já jogou no Paraná, mas, mesmo assim fica com o coração na mão e meu pai jogou futebol, não sei se foi profissional, mas sei que ele já viajou bastante com isso também.

TNRB: E vocês, como se sentem ao deixar, cada um, sua casa?
Da Mata: Deixar minha mãe mexe com meu sentimento, quando olho pra ela me dá um certo receio, mas sei que vou em busca do melhor pra nós. Meu pai vai comigo, ficar uns três dias e depois volta pra Bauru.
Gustavo "Gigante": Mesmo meus pais estando acostumado, me dá um pouco de receio também, mas é uma boa oportunidade e espero aproveitar da melhor forma. Meu pai também vai, ainda está acertando algumas coisas por aqui e vai acompanhar a gente lá. Mas acho que ficaremos com uma tia minha em um apartamento se tudo der certo.

TNRB: E pra fechar, como está o coração sabendo que vão deixar a escolinha?
Da Mata: Saio com o sentimento de dever cumprido, mas já dá saudades dos companheiros e do paizão "Mumu".
Gustavo "Gigante": É, já da saudades, mas acho que o dever foi cumprido. Vai dar saudades do grupo e o paizão "Mumu" vai fazer falta.


Um comentário:

Tecnologia do Blogger.