Parceiro

Câmara pede desculpas ao Noroeste após denúncias sem provas em Iacanga

Registro feito durante a sessão da câmara no município de Iacanga
Foto: Divulgação


Uma acusação sem provas materiais, feitas ao Ministério Público pelo vereador Rafael Delaporta Sedemak (Solidariedade), de Iacanga, de que garotos do Noroeste passavam fome e ficavam desacompanhados, estremeceu a boa relação que havia entre o município vizinho de  Bauru e o departamento de futebol de base do Esporte Clube Noroeste. A sessão da Câmara Municipal, realizada na noite desta terça-feira (1), esteve repleta de pais de jogadores da base. Eles protestaram contra acusações do vereador Sedemak.

O presidente da Casa, o vereador Wagner Rogério dos Santos Luiz, mais conhecido como Rogério Tibilô (PL), que também é advogado, usou a tribuna para se desculpar com Luciano Sato e com o Noroeste.

Procurado pela assessoria de imprensa do clube nesta quarta-feira (2), Tibilô voltou a lamentar o episódio ocorrido no município. "Minha vontade, e creio que dos vereadores também, é que o projeto continue da base do Noroeste continue em Iacanga em 2020. Há necessidade de melhorias, o que o Sato está se prontificando a fazer. O projeto, além de beneficiar jovens no esporte, socialmente é ótimo para a cidade de Iacanga, porque dá uma oportunidade para esses adolescentes e jovens sonharem e também não irem para os caminhos das drogas. Que é um grande problema da nossa sociedade. Também tem o nosso comércio que foi beneficiado, pois aqui é gasto dinheiro em alimentação, academia, clínica de fisioterapia", comentou Rogério Tibilô.

O presidente da Câmara ressaltou ainda que projeto da base do Noroeste tem o apoio da prefeitura, Câmara e principalmente da cidade, que ficou muito chateada com o que aconteceu. "Meu desejo é de que possamos nos unir para reverter essa situação e ter o projeto com os atletas aqui novamente. É importante para o clube e para nós, cidadãos de Iacanga", finaliza.

ENTENDA O CASO

O município de Iacanga, que acolheu cerca de 40 jovens das equipes sub-15 e sub-17, além de profissionais de rouparia, secretaria e cozinheiras, no início deste ano, agora, vê o Norusca de saída da cidade. O MP fechou o local utilizado como alojamento e mandou a prefeitura cassar o alvará, mesmo os jovens já tendo sido liberados depois da eliminação no estadual, há cerca de um mês.

De acordo com Luciano Sato, em setembro, o vereador Rafael Delaporta Sedemak acionou o MP local com uma denúncia evasiva, contra o clube e contra o prefeito de Iacanga Ismael Boiani (PSB), pautado pelo "achismo" e sem obter nenhum tipo prova. Fato que, segundo Sato, gerou revolta nos pais dos adolescentes, nos demais parlamentares da Câmara de Iacanga e moradores do município que comparecerão à Casa de Leis para pedir explicações ao parlamentar.

Segundo Sato, o Juiz Guilherme Augusto de Oliveira Barna, Vara Única da Comarca de Iacanga, decidiu para que os adolescentes retornem para suas casas de origem, o que já havia ocorrido, segundo Sato, após o término do estadual, no início deste mês. A apuração do MP segue somente para apurar a Prefeitura de Iacanga, para que exerça cassação de alvará feita ao clube. De acordo com Sato, os demais parlamentares articulam para reverter a situação, para que em 2020 a base do Noroeste não deixe o município.

Sato acompanha o inquérito do Ministério Público. O Esporte Clube Noroeste, por meio do presidente interino José Antônio Rodrigues, até o momento não foi notificado judicialmente.

A base, atualmente, é gerida pelo próprio Luciano Sato, com apoio financeiro de empresários da região de Bauru. O município de Iacanga contribui com uso do Estádio Municipal José Antonio Rossi e os ginásios municipais. A academia é particular, fornecida por uma empresa patrocinadora.

Os jogadores que estavam alojados estudaram em duas escolas, a municipal Joaquim Caldas de Souza e a estadual Padre Jorge Matta. Eles residiram em um alojamento com todos os laudos de vistorias do Corpo de Bombeiros atualizados, cujo endereço não será revelado por motivo de segurança. Além de contar com rouparia, a base tem ainda uma profissional de secretaria para cuidar do dia a dia dos meninos, sendo elo da base com os pais, e duas cozinheiras.

Luciano Sato destaca que foram feitas acusações maldosas e sem provas do vereador Rafael Delaporta Sedemak, o que prejudica e desgasta o trabalho sério que era feito com o alto rendimento noroestino naquele município. No passado, segundo Sato, o parlamentar acusou o município de destinar verba pública para o time, o que já foi comprovado não ser verdade.

"Tivemos em Iacanga o apoio de campo para treinar e fomos recebidos de braços abertos pelos moradores da cidade e comerciantes, que tratam com carinho cada um dos atletas", disse Sato, que repudiou e tratou como absurdo a denúncia de que os meninos "passam fome".

Além de ter alojamento com todos os laudos, nenhum pai ou mãe dos jovens fizeram qualquer tipo de denúncia, afirma o coordenador. "Eles (os pais) acompanham o que acontece no dia a dia dos meninos e sabem que o trabalho é respaldado pela seriedade e zelo por cada um deles", cita.

"A dispensa sempre esteve cheia com comida boa. Eles têm a disposição deles quatro refeições por dia e eu tenho todos os comprovantes de compras e testemunhas dos comerciantes que nos vêm comprando comida toda semana", ressalta, alegando que seja bem provável que Iacanga não volte a ser mais a segunda casa da base de um dos principais e tradicionais clubes do futebol do interior.


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.