PESQUISE

Noroeste joga bem e vence o clássico diante do Marília no Alfredão

Por Juliano Gomes
Guilherme Teixeira vibrou muito após marcar o gol da vitória noroestina no clássico
Foto: Bruno Freitas / ECN

De volta ao clássico, Noroeste e Marília se enfrentaram no estádio Alfredo de Castilho na noite dessa quarta-feira, 29, com casa cheia. Quase 6.000 (5.708 são os números exatos) pessoas estiveram presentes nas arquibancadas acompanhando a partida válida pela segunda rodada da Série A3 e que marcou também a estreia alvirrubra em casa.

O Noroeste veio de vitória na estreia por 2x0 jogando em São Bernardo do Campo enquanto o rival Marília, tropeçou diante do Linense em pleno Bento de Abreu. O reencontro entre ambos prometia muita emoção já que na última vez que se encontraram, em 2018, o Norusca levou vantagem vencendo por um a zero e gol marcado por Alef, na ocasião.

O jogo

Antes do início da partida, a chuva começou a cair no Alfredão e com o apito do árbitro, o Noroeste começou a ditar o ritmo do jogo, trocando passes rápidos na ligação entre o meio-campo e o ataque utilizando as laterais na intenção de furar o bloqueio maqueano.

A ideia funcionou e aos seis minutos, Renan recebeu passe de Igor Pimenta na lateral esquerda próximo a grande área, fez o cruzamento na marca penal e o zagueiro Guilherme Teixeira que é natural de Marília, subiu mais do que a defesa adversária para desviar de cabeça aproveitando a saída errada do goleiro Igor Castro e abrir o marcador para o Noroeste.

Após o gol, o Noroeste postou o time no campo de defesa, tendo como estratégia o contra-ataque, que funcionou em diversas ocasiões, uma delas com Fabrício que ganhou a jogada na lateral direita, desceu em velocidade, invadiu a grande área finalizando rente a trave esquerda, para fora aos dezessete minutos de bola rolando.

Aos vinte e sete minutos foi a vez do MAC assustar, após Alexandre escapar pelo lado direito e sair nas costas de Renan, ajeitando a bola de cabeça para Bruno Ribeiro tentar o desvio de letra, mas Pablo saiu bem do gol tempo para evitar o empate.

Yamada (centro) comando o meio-campo noroestino e foi um dos melhores
Foto: Bruno Freitas / ECN

Não demorou para o Noroeste assustar a meta adversária novamente e no minuto seguinte, Yamada desceu em velocidade pelo meio de campo, ganhou a frente do marcador e serviu Pedro Felipe, na medida para o camisa 11 noroestino tocar rasteiro na saída de Igor Castro, mas a bola saiu raspando a trave esquerda e se perdeu pela linha de fundo.

O Noroeste era superior em campo, mesmo o adversário tendo os momentos de trocas de passe, mas faltava a acertar a pontaria para o placar ampliar, porém não era noite dos atacantes alvirrubros. Pedro desceu em velocidade pelo lado direito do campo, cruzou para dentro da pequena área buscando Fabrício que correu demais e passou do tempo da bola desperdiçando boa jogada ofensiva.

Aos 41' o meia Yamada, responsável pela ligação no centro de campo e o melhor jogador do Norusca, cobrou falta pelo lado esquerdo em batida direta e a bola acabou acertando o travessão levando muito perigo à defesa do MAC.

Nos acréscimos, o noroeste viu a oportunidade de ampliar o marcador surgir depois que o atacante Pedro Felipe sofreu pênalti. Na cobrança, o camisa 11 bateu mau, no centro do gol, facilitando a defesa do arqueiro Igor Castro que mesmo dando rebote, viu o ataque noroestino perder a chance de ampliar a vantagem, mantendo o marcador no encerramento da primeira etapa.

Prestes a voltar para o segundo tempo, uma das torres do Alfredão teve queda de energia, atrasando o reinício cerca de quinze minutos.

Com as luzes reacesas, o noroeste manteve estável o ritmo de jogo, anulando as investidas adversária, criando sua primeira chance de gol somente aos 17 minutos. Antes, o técnico Luiz Carlos Martins promoveu as entradas de John Egito e Leandro Oliveira nos lugares de Igor Pimenta e Yamada respectivamente.

Em grande oportunidade, Pedro Felipe serviu Leandro Oliveira na entrada da grande área. O meia deslocou o marcador e bateu cruzado e rasteiro, mas a bola saiu rente a trave esquerda.

aos 30 minutos de bola rolando na etapa complementar, Bruno Ribeiro teve a única oportunidade de gol para o Marília, após chute de fora da área que obrigou Pablo a espalmar para escanteio.

Atacante Pedro Felipe tentando superar a defesa adversária
Foto: Bruno Freitas / ECN

Com 37 jogados, Leandro Oliveira que entrou bem na partida, teve mais uma oportunidade de gol dentro da grande área, se livrando novamente da marcação e finalizando, dessa vez pelo lado direito, com a bola se perdendo pela linha de fundo.

antes do apito final, o Norusca perdeu mais uma oportunidade de balançar as redes, dessa vez com Fabrício que saiu de frente do Igor castro e na tentativa de cavar na saída do goleiro, mandou a bola pela linha de fundo.

Liderança

Com a vitória, o Noroeste manteve os 100% de aproveitamento chegando ao sexto ponto e ficando em vantagem no saldo de gols sobre o Batatais que venceu o Capivariano fora de casa. O MAC aparece no Z-2 em último lugar ao lado da equipe de Capivari. O próximo compromisso noroestino será no dia 1/2, sábado, às 16h em Rio Preto contra o Jacaré.

Além do bom público que esteve presente nas arquibancadas do Alfredão, a diretoria também comemorou a renda do jogo que foi R$102.105,00.

Treinador satisfeito

"Eu já venho falando há vários dias que esta Série A3 é muito difícil. O Marília é um time muito qualificado, experiente, com jogadores de divisões de cima. Fizemos em campo o que treinamos. Mas pecamos nas finalizações, perdemos muitos gols, mas faz parte. Todos estão de parabéns pela vitória. O trabalho segue com os pés no chão porque o campeonato é longo", comentou o treinador noroestino, em coletiva de imprensa após a vitória.


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.